Minissérie ‘Le Chalet’ destaca a escolha entre o que é fácil e o que é certo

Grande parte das pessoas que assistiram a série alemã Dark, original Netflix, ficaram confusas com a história, os personagens e linhas de tempo distintas. Essa é a primeira sensação que o público terá ao apertar o play no piloto do novo suspense francês do serviço de streaming, Le Chalet. A Minissérie, porém, se difere pela narrativa, já que ao mesmo tempo em que lança dúvidas, as responde nos episódios seguintes. Com seis episódios de aproximadamente uma hora de duração, a trama é criada por Alexis Lecaye e Camille Bordes-Resnais.

Para entender melhor

A história é dividida em três tempos diferentes que são distribuídos nos episódios de forma aleatória. Tomando a liberdade de nomeá-los como “Passado distante”, “Passado próximo” e “Presente”, nessa ordem a história se desenrola da seguinte forma:

LE CHALETUma família – pai, mãe, um filho de 13 anos e uma caçula – resolve morar em uma vila pequena, na França. Eles alugam um pequeno chalé um pouco distante da população e tentam criar raízes ali. À medida que o tempo passa, as crianças se envolvem em pequenas brigas com outros jovens das redondezas e isso acaba se tornando o estopim de uma tragédia quando os pais de cada casa começam a tomar partido de seus parentes. Esse cenário é o que denominamos nesse texto de “Passado Distante”.

lechaletVinte anos depois do crime que aconteceu na vila, um grupo de jovens resolve celebrar o casamento de um casal no grupo deles. A maioria deles se hospeda no chalé, agora funcionando como uma espécie de hostel, mas acabam ficando presos no lugar quando um acidente interdita a única ponte que dá acesso ao trem de partida. Aos poucos, mortes misteriosas e desaparecimentos vão acontecendo e todos passam a ser suspeitos. É o “Passado Próximo”.

O “Presente” é mostrado em um único ponto de vista, quando um dos personagens é entrevistado por uma terapeuta, acusado de ser o principal suspeito de todas as mortes que aconteceu no chalé.

Estrelando Chloé Lambert, Emilie de Preissac e Philippe Dusseau no elenco, a história apresenta personagens com estereótipos batidos, por exemplo, a vaidosa, o playboy, o empresário que pensa apenas em dinheiro, a mentalmente instável que sabe algum segredo e os mocinhos. Além disso, as mortes beiram em sua maioria a teatralidade, quase como se houvesse uma preguiça em elaborar algo convincente, ninguém se destaca. O quebra-cabeça dos crimes, embora bem elaborado, não surpreende nem foge do padrão, levando para um plot previsível. A temática da minissérie se concentra em passar o comportamento humano diante do desejo de vingança, mostrando que todos podem escolher entre o que é fácil e o que é certo.

17c41831-vodvignette16x913cfdbd4a2f53b4819a66fb656cea376ac6c6a1faa93258bb7327d91afede2ebQuando o assunto é fotografia, as séries estrangeiras não costumam desapontar. Fazendo uso de montanhas, florestas e casa íngremes, Le Chalet mostra sua identidade e sua essência. A trilha sonora também ajuda a compor o suspense, com uma única música de ópera nos momentos de clímax e com a voz de uma garotinha na abertura que garante o clima tenso. De maneira ampla, o show acerta em deixar o clima de suspense constante, a produção tem todo o mérito, para os amantes do gênero é uma opção de passar o tempo. Mas peca em não sair da zona de conforto, como a minissérie Harper Island (2009), por exemplo, que usa o mesmo roteiro de “morrer um por um em uma ilha” onde, inclusive, o motivo da reunião de jovens também envolve um casamento. Veja o trailer:

LE CHALET

Número de temporadas: 1.
Episódios: 06.
Média de duração: 50min/ep.
Cotação: 3/5.

Um comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *